Sem saber o que pensar…

- Sem categoria
Já desisti, larguei na mão de Deus. Porque? Porque não vale a pena lutar pelo que não te faz feliz. Dinheiro todo mundo quer, um diploma é importante para a vida da gente, especialmente falando em bens materiais. Mas quando isso não te satisfaz, não te dá prazer, também não te dá forças pra seguir adiante. Quando as pessoas te empurram pra trás, te fazem sentir um nada, tentam de toda forma mostrar que são maiores do que você, que têm poder de decisão sobre a sua vida, ou que popularmente falando, tem espírito de porco, não dá. 
Quero ser feliz, muito feliz. Quero ter minha casa, meu amor, pintar as paredes de colorido, ler minhas revistas de moda, me enlouquecer em metros de tecido, desenhar, cortar, costurar, sonhar… Quero cores, música, dança, risos, sol, amor… Coisas simples, coisas belas… Quero acordar de manhã, dar um abraço em quem eu amo, brincar com o cachorro e fazer coisas que me façam sorrir, que me inspirem. Quero e sentir uma mulher completa.
E o que, afinal, é ser mulher hoje? Pra ser mulher, com M maiusculo, você tem que estudar uma coisa “séria”, se matar fazendo 327 cursos por ano, mestrado, doutorado e passar em um concurso publico num belo cargo antes dos 30 anos?! Será que ser uma pessoa bem sucedida é não dar bom dia a seus colegas, julgar a tudo e todos, trabalhar tanto ao ponto de nem conhecer seus vizinhos, em troca de uma gorda conta bancária? Pra ser mulher tenho que usar preto, andar de salto e cara sizuda pra todo mundo, não me reconhecer nos outros próximos a mim? Será que ser mulher hoje, é traçar um plano de vida, e segui-lo a risca, sem escorregar nem dar uma passadinha na sorveteria?
E daí que eu já tenho vinte e poucos anos? Se eu quiser ser diferente, estarei sendo pior? Inferior? E daí se eu faço chá de cozinha? Estou sucumbindo ao machismo por isso? E daí se eu uso vestidos com babados, ou um laço na cabeça? Isso não faz de mim inferior a alguém, isso não muda minha essência. Não sonhar em ser a toda-poderosa de alguma empresa ou universidade não faz de mim uma pessoa pior, apenas diferente. Gostar das coisas simples, de ter um tempo maior pra dedicar às pessoas que amamos, não é pensar pequeno. Gostar de preparar o jantar para a familia não é ser amélia ou dona de casa. E o que tem de errado em ser dona de casa? Quem foi que disse o que é certo ou errado afinal? Quem foi que decidiu o que é ou não ser bem-sucedida? Quem disse o que devemos ou não devemos ser? Quem impôs esse ideal de mulher da atualidade?
Porque devemos nos matar de trabalhar, ainda cuidar de nossas familias, estar belas, magras e bem-vestidas o tempo todo? Porque uma mulher plena é aquela que pra trabalhar tem que deixar o filho na escola desde os seis meses de idade, e não está lá quando ele diz suas primeiras palavras ou dá os primeiros passinhos? 
Muitas dessas dúvidas vêm me perturbando e me movendo nesses ultimos dias, e só pioram com toda a movimentação na minha faculdade. Muita revolta, muita vontade de desistir, muita coisa pra repensar acerca da minha vida. Penso que se toda a minha vida como profissional vai ser como está sendo a vida na graduação, talvez nem valha a pena seguir adiante. Eu vejo que não sinto a mesma ferocidade das minhas colegas por uma vaga na pós-graduação, na verdade nem aguento estar muito tempo no Campus. não tenho paciencia pra puxar saco de professor, nem de perder tardes estudando textos de 50 anos atrás que não me dizem nada. Ao mesmo tempo, todos nos preocupamos com a opinião do outro, dos julgamentos que são feitos a respeito de quem não é “bem-sucedido” nos padrões atuais. Ultimamente, os únicos sentimentos que tenho tido dentro do Campus são descontentamento, tristeza, revolta e desejo de fuga. E niguém é capaz de imaginar a profunda tristeza sinto também por me sentir assim, por perder tempo de vida, dinheiro, e tantas outras perdas. 
Em contrapartida, a motivação que tenho para assuntos alheios aos da minha formação, é enorme. A pesquisa para a coleção de verão da nossa loja vai de vento em popa. A produção também. Viajo pensando na decoração da minha casa nova, e no casamento então, nem se fala. E penso, porque nada desse sentimento se direciona para o profissional, porque não consigo canalizar essa dedicação para os estudos. Eu mesma respondo. Porque falta paixão. E me entristece ver que isso não acontece só comigo. É de partir  o coração. E no final, quando todas essas idéias, todo esse devaneio se mistura, todas as dúvidas, inquietações se juntam, fico sem saber o que pensar. Uma grande interrogação se forma. Um pensamento inconcluso. Não  sei o que fazer, não tenho uma idéia formada sobre isso tudo. Por enquanto vou levando. Desejando que tudo mude, eu fico assim, sem saber o que pensar.
Previous Story
Next Story

2 Comments

  • Reply
    Thay
    23 de agosto de 2011 at 12:10 am

    Tamy, gostei de ler teu desabafo… Sabe pq?? Ando me sentindo bem assim tbm!
    Não tenho a minima vontade de fazer as coisas da facul, de estar naquela sala em que a todo momento há alguém querendo SER mais que tu, onde há uma competitividade enorme!! Bom saber que ali dentro, dentro daqueles grupinhos há alguém que pensa como eu, faz um tempinho que ando me sentindo bem mal dentro daquele ambiente, será pelas pessoaas?? será eu que to saindo fora da casinha? Serão os professores que nos cobram leituras de textos chatos? ou será que eu não quero nada com nada? Pois é tá bem dificil, mas agora falta tão pouco que ainda não passou pela minha cabeça em desistir..
    Sabe fiz o Curso Normal, Magistério e tenho tantas recordações boas, brincadeiras, bobagens, comilança :P, UNIÃO, e até conhecimento (que na Universidade julgam não ser o melhor), e lá qu recordações teremos?? Que nossa turma era subdividida em grupos, que se falavamos lá de vez em quando, que as pessoas apenas se suportavam pelo fator, educação. Sei lá ando bem decepcionada tbm..
    Adorooo passar as tardes olhando blogs, orkut, msn, aprendendo a fazer surpresas para as pessoas que amo, e quanto a faculdade, iii não gosto nem de lembrar cada vez que tenho que fazer algo 🙁
    Bom Tamy, já desabafei bastante por aqui tbm, mas quero te dizer que mesmo com todos estes fatores "Vamos em frente!" Pois no final sempre dá certoo, falta tãoo pouco que não vale a pena tanta agústia (pelo menos vamos afirmar da boca pra fora huahah)e conta cmg afinal estamos no mesmo barco!! Um beijãooo queridaa

    Reply

  • Reply
    Mi
    23 de agosto de 2011 at 12:10 am

    o importante é ser feliz!
    Deus te abençoe
    ótima semana
    beijinhos

    Reply

  • Leave a Reply