Sem categoria

Borboletas no estômago

Meninas estou de volta! Que saudades daqui e de visitar os blogs de vocês, caramba. As reformas agora já devem ser belas casas e apês super lindos. ADORO! Falando em apês, quem acompanhava o blog sabe do perrengue que eu e o namorido estamos passando pra encontrar um desde o verão. Orçamento apertado, cidade em periodo de forte desenvolvimento industrial e imobiliárias prá lá de safadas. Só pra relembrar a novela. E com tudo isso na cabeça, a gente nem para pra pensar no resto. Resto, mas que resto?
Bom, pra começar, o mais assustador. Mudança. De casa, de vida, de rotina, de tudo. Daí você diz: deixa de ser besta menina, o que importa é que você vai morar com seu amor. Será? Me acompanhe. 
Um belo dia, você acorda, compra um apartamento, oba! Aí você decora ele todo lindo, compra coisas novas, e bla bla bla. Então, chega o dia da mudança e opa! Você percebe. Sua cama não é mais sua cama. Seus sapatos não ficam mais ali embaixo da cama onde é mais perto. Sua mãe não guarda o leite na geladeira quando você esquece. Aliás, sua mãe nem  mora mais com você. Quando a toalha fica no quarto esquecida, não é ela que te leva no banheiro.  E sim, todas as tarefas da casa agora são sua responsabilidade. As compras no supermercado também. Junto com a faculdade e também o emprego. E ainda, você vai morar com um cara! Sim, e ele vai roncar no meio da noite, e vai querer ver o futebol, e as vezes vai dormir quando chegar cansado do trabalho, vai fazer um pouco de bagunça às vezes, e você possivelmente vai recolher cuecas no varal. E isso não é assustador?
Pra algumas meninas, não. Pra outras, sim. Eu ainda não cheguei na fase da mudança, na verdade nem o apê compramos, mas a maioria das duvidas acima me atingem,  e muito. Sempre fui mais do tipo racional, sem muita crise, mas uma mudança tão grande sempre deixa a gente com duvidas. Achava que ia encarar tudo numa boa, e que o Fabio ia ter maiores neuras e tal, mas tenho parado pra pensar e hoje, visitando um apartamento, foi que caiu a ficha d que as coisas vão realmente acontecer, e deu um baita de um frio na barriga. Vontade de desistir, ficar na casa dos meus pais por mais uns dois anos, ou até ele pagar minha habilitação e aproveitar essas pequenas mordomias de ser filha, e não de ser adulta. Não que não me considere adulta, mas todas essas responsabilidades assustam um pouco.
Meu conselho pras assustadas como eu? Converse com seu amor, discuta com ele, veja o que ele pensa. Pode ser que ele esteja assustado também, ou que ele te diga aquilo que você precisa ouvir. Pode ser que vocês realmente decidam adiar essa mudança por um tempo, ou pode ser que juntos, vocês percebam que a vida é feita de mudanças e que quem não se arrisca, não avança. 
Beijos, minhas amadas!

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.