Sem categoria

I need it: Um lugar pra chamar de meu


Ok, eu sei que a casa onde eu moro eu posso chamar de minha. O caso é um pouco mais pra independencia do que pra ingratidão. Como eu já andei dizendo por aí, o reloginho biológico tá apitando, cada dia mais alto. Vontade de ter minha casa, meu trabalho, meu tudo. Hoje até me emocionei toda vendo uns lances de bebês. Mas isso é conversa pra daqui a uns 3 mil posts.
Mas como a vida não é cor-de-rosa, aqui na cidade onde eu moro, fim-de-mundópolis, o mercado imobiliário tá pra lá de bagdá e pensa que pode pedir 150 mil reais num apartamento de 2 quartos em qualquer lugar que não seja a favela. Eles estão prevendo um grande crescimento da cidade em função do Porto, e por isso, decidira sentar o dedo em quem pretende comprar imóvel. Numa cidade onde só existe um cinema, que você pode se estapear por um ingresso na fila, já que cabem cerca de cem pessoas, no máximo,  e os filmes chegam  junto com os DVDs da locadora. Numa cidade inde não existem shoppings, e a maior loja é  a Renner. E não, aqui não tem Wallmart, nem Carrefour,  nem McDonalds. Nem um mísero McDonalds. A coisa mais legal que tem pra fazer aqui é passear no calçadão da praia, onde eu  moro, e o calçadão nem fica na beira da praia, mas a umas 3 quadras. Soma-se isso ao fato de que alguém que ainda não tem o diploma de graduação não consegue um salário maior de 400 reais por aqui. Resultado: no apartment at all.
E isso me deixa assim meio frustrada, porque eu ando tão afim, e o gordo também, mas infelizmente ainda não estamos podendo mudar de cidade, (na cidade vizinha, um apê de 2 qt na frente do Wallmart e do lado do Habibs custa 60 mil, e lá tem shopping. Mac e tudo mais) em função de ainda estarmos os dois na universidade, e seria muito arriscado abandonar tudo agora.
Será que isso de relógio biologico existe mesmo? Ou será que meu timing está errado? Ou será que eu ando lendo muito o blog da Mari Mari? Agora já nem importa.

 

Você também pode gostar...

7 comentários

  1. Acho que isso do relógio exista mesmo, chega uma hora em que a gente quer ter nosso canto…entregue tudo nas mãos de Deus e Ele faz por você, isso dá uma enorme diferença, acredite!

    Bjs!!!

    Não estejais inquietos por coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de graças.(Filipenses cap.4 versículo 6)

  2. Ah entendo que você queira tanto um lugar pra chamar de seu, todos querem. Mas não precisa dessa ansiedade toda! Vai juntando dinheiro, fazendo tudo com calma, porque você ainda tem 22 anos! Além de que é melhor gastar tempo e dinheiro com uma coisa que realmente valha a pena, do que se precipitar e acabar estragando tudo. Ai quando estiver tudo arrumadinho, os dois terminando a faculdade vocês se mudam pra cidade vizinha e aproveitam o Habibs por mim, tá? hahahaha Isso é só a minha opinião! A vida é sua, você tem que tomar suas decisões… Beijos!

  3. Entendo seu lado. Também queria ter uma casa só para mim (não só pra mim se você me entende)uma casa pra chamar de minha, mas não pretendo casar ainda com meu namorado, ainda tá muito cedo.(rs) Porém, gostaria muito!

    [Ponto K]
    http://pontoksd.blogspot.com/

  4. É, a vida num é mole não! Se na sua cidade as coisas são caras assim, imagina aki na minha, que é turística. Mas pense pelo lado bom (lento, mas bom), vc já está em uma universidade, o que já é um bom começo =] Boa sorte com seus planos ;]

  5. Também me sinto assim,quero logo ter minha propria casa, mas parece que vai demorar beeem muito, pelo mesmo motivo que o seu xD

  6. com 150, aqui na minha cidade Guarujá/SP .. litoranea, com 150 você compra uma casa boa, com até 3 quartos ou um ap iradinho
    Varia de lugar pra lugar né?!
    Mas é só não desistir dos objetivos, lute por eles, nada é impossível =)
    bjs linda

  7. ah Tamy, obrigada pelo comment foto
    e eu ando com msm vontade que vc… nao tenho namorado nem penso em casar tao cedo, maaaaas tenho vontade de ter meu canto
    acho que seu relogio biologico ta certissimo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.